quinta-feira, 8 de setembro de 2016

PARQUIMETROS: REUNIÃO COM COMERCIANTES E MORADORES. CENTRO COM MAIS UMA RUA PEDONAL E PASSEIOS LARGOS

Câmara Municipal e Associação Comercial ouviram os comerciantes e moradores sobre a continuidade ou não do estacionamento pago no centro histórico da vila. A breve prazo, será apresentada uma proposta para análise e votação no executivo municipal. 

A instalação de zonas de estacionamento pago no centro histórico da vila de Monção teve como finalidade a regularização do trânsito e “impedir” que os funcionários da Câmara Municipal, do palácio da justiça e das entidades bancárias estacionassem a sua viatura naquela zona durante todo o período laboral.

A concessão, que durou oito anos, terminou no passado mês de julho, equacionando-se agora a continuidade ou não do estacionamento pago. Nesse sentido, a Câmara Municipal de Monção e a Associação Comercial e Industrial dos Concelhos de Monção e Melgaço promoveram uma reunião de trabalho com os moradores e empresários locais para aferir a sua sensibilidade relativamente a esta questão.

Realizada ontem ao final da tarde, no Museu do Alvarinho, com a presença do autarca local, Augusto de Oliveira Domingues, a responsável pelo pelouro do urbanismo, Conceição Soares, e o representante da associação comercial, Vítor Alves, a reunião contou com a participação de cerca de vinte empresários que “lançaram” algumas sugestões e recomendações.

Ao longo de hora e meia de discussão, houve quem defendesse a extinção dos parquímetros com regresso ao estacionamento gratuito e sem limite de permanência e quem optasse pela sua continuidade com a introdução de algumas alterações ao regulamento inicial.

Entre estas, a gratuitidade da primeira hora de estacionamento, a entrega de cartões/passes a comerciantes e moradores, e a possibilidade de estacionamento livre durante todo o fim de semana, contrariando a concessão anterior que implicava pagamento ao sábado de manhã.

Assumido por todos que a concessão falhou devido à falta de fiscalização por parte da empresa responsável, é praticamente ponto assente que, em caso de permanência do estacionamento pago, a gestão do sistema passará a ser efetuada por funcionários da autarquia.

Ouvidos os empresários e moradores, segue-se, a breve prazo, a apresentação de uma proposta para análise e votação em reunião do executivo municipal. Entretanto, para não “enganar” os munícipes e visitantes, os parquímetros passarão a ostentar a mensagem “fora de serviço”.

Neste encontro, os autarcas esclareceram ainda que as intervenções futuras nas duas principais praças do centro histórico, Praça Deu-la-Deu e Praça da República, vão privilegiar o peão com mais uma rua pedonal e passeios mais largos, assistindo-se à diminuição dos lugares de estacionamento. 

C.M.

quinta-feira, 18 de agosto de 2016

FESTA EM HONRA À VIRGEM DAS DORES

Romaria, uma das maiores do Alto Minho, arrancou quarta-feira, prolongando-se até à próxima segunda-feira. Seis dias de devoção, animação e convívio com momentos religiosos e festivos. Pontos fortes no domingo com a procissão solene em honra à Virgem das Dores e, na segunda, com a procissão solene em honra do emigrante.
As noites prometem. Hoje, “Toy” e “Sons do Minho” animam a Praça Deu-la-Deu. Na sexta, dedicada aos jovens, é a vez dos “The Gift” e DJ`s Miguel Rendeiro e Steven Rod. No sábado e domingo, a animação está a cargo das orquestras galegas. Na segunda, atuará Mickael Carreira.

A Festa em Honra à Virgem das Dores, uma das romarias mais castiças e genuínas do Alto Minho, decorre entre 17 e 22 de agosto com a promessa de seis dias de veneração à imagem de Nossa Senhora e diversos momentos de animação com acentuada componente tradicional, etnográfica e festiva.
Os momentos mais fortes, que reúnem milhares de pessoas nas ruas e varandas do centro histórico, são a procissão solene em honra à Virgem das Dores, no domingo, principal dia das festividades, e a procissão solene em honra do emigrante, segunda-feira, último dia.
Destaque ainda para a saudação mútua e despedida das bandas, após a procissão de domingo, onde os elementos da comissão de festas desfilam ao som das duas filarmónicas locais, sendo aplaudidos pelo público que enche os passeios para lhes agradecer a realização da festa.
Nos restantes dias, o programa reserva atuações de grupos de bombos, zabumbas, cabeçudos, gigantones, tocadores de concertina, cantadores ao desafio, cavaquinhos, ranchos folclóricos e bandas filarmónicas. As orquestras galegas também marcam presença. Tal como grupos e artistas nacionais conhecidos do grande público
A animação, com milhares de pessoas nas ruas, está garantida nestes seis dias de festa. Hoje, pelas 21h30, a Praça Deu-la-Deu, recebe o Festival de Folclore “Dançares da Raya” com nove grupos locais e o Rancho “Sonhos de Portugal”, de New Jersey, EUA. Amanhã, quinta-feira, a partir das 21h30, sobem ao palco o Grupo Popular “Os Teimosos”, o artista “Toy” e o grupo “Sons do Minho”.
O Festival “Sons na Praça” chega no dia seguinte, sexta-feira, com “Killer Mustang”, “The Gift”, Dj Miguel Rendeiro e Dj Steven Rod. No sábado, a noite reserva concertos da Banda Musical de Monção e Banda de Vilela, seguindo-se a orquestra “Graffiti”. Entre as duas atuações, realiza-se o habitual fogo-de- artifício.
O domingo tem uma forte componente religiosa com a Procissão Solene em Honra à Virgem das Dores. Prevê também a despedida das bandas, momento único e inesquecível para os mordomos e mordomas. A noite, vai encher-se com o ritmo das orquestras “Marbella” e “Los Satélites da Corunha”.

O último dia, segunda-feira, engloba homenagem aos emigrantes, convívio do mordomo com atuação de Rui Afonso e oferta de porco no espeto, atuação do grupo “Roconorte” e, pelas 23h00, concerto de “Mickael Carreira”. A festividade termina com nova sessão de fogo-de-artifício. 

quinta-feira, 11 de agosto de 2016

APROXIMA-SE A NOVA ÉPOCA

Ainda falta algum tempo para, oficialmente, começar a época desportiva 2016/17, mas já se notam alguns movimentos nas equipas seniores do concelho de Monção.


Sendo assim, não dou informações que de hoje para amanhã sejam trocadas, pois ainda pode ser feita muita contratação e muita dispensa de jogadores,treinadores e elenco diretivo de cada clube. Apenas vou resumir toda a informação que me foi dada referente a técnicos que já assumiram o comando dos clubes. 

Começando pelo Desportivo de Monção, vai manter as funções de treinador Paulo Almeida com o objetivo de esta época tentar fazer melhor que a anterior,apesar de reconhecer que a época que por aí vem tem clubes de alto nível,caso do Vianense, Neves Atl. dos Arcos,Valenciano,Cerveira e o Monção,naturalmente. 
Já em relação a jogadores, acho melhor apensa referir que há bastantes movimentos mas o melhor a para ter mais certezas apenas vou cita-las na próxima crónica. Também posso dizer que a direção é praticamente a mesma mantendo-se o David Guedes, como presidente. Houve entradas e saídas de diretores, mas também em relação a isto divulgarei corretamente na próxima. 

Falemos agora da União Desportiva "Os Raianos". O Renato Pombo que acabou a época passada no comando técnico desta equipa,depois de ter sofrido um acidente desportivo que o obrigou a estar profissionalmente parado e que, mentalmente, fez com que abandonasse o seu trabalho no Raianos ocupando o seu lugar o conhecido Filipe Vaz,pessoa que já fez parte do clube como jogador e que ultimamente era treinador das camadas jovens do Friestense. Esperamos que lhe corra bem; também em relação a jogadores nada vou dizer para já mas em relação ao presidente da direção posso acrescentar que mantém-se Vitor Caldas como até aqui. 

Quanto ao Moreira, depois de muito tempo no comando técnico desta equipa, o Sérgio Felgueiras abandonou o cargo deixando o seu lugar para o adjunto Vitor Rei. Tambem esta equipa teve mudanças de atletas, mas, mais uma vez, vos digo que a seu tempo divulgarei. Quanto á direção, com algumas mudanças, a presidente continua D. Carolina em mais uma época de sacrificio e muito trabalho. 

Finalmente, o Longos Vales, após um ano não muito conseguido, apostou na dupla técnica Vitor Alves (pai) e Vitor Alves (filho); estes que foram os orientadores na época anterior da equipa de juvenis do Desportivo de Monção. Segundo soubemos a aposta está em jogadores jovens e têm como objetivo tentar o melhor lugar possível na tabela classificativa, esperamos que  consiga fazê-lo para bem de todo o desporto deste concelho. 

E, por agora, ficamos por aqui. As modalidades amadoras e o futebol da formação só no mês de outubro é que começam as competições oficiais e, antes do inicio, cá estarei para vos informar de tudo em relação a técnicos e diretores das mesmas.
No principio de setembro volto

FRANCISCO FERREIRA

sexta-feira, 29 de julho de 2016

ZONA DE LAZER DE MAZEDO OBJETO DE  REQUALIFICAÇÃO



Nesta deslocação de trabalho à União de Freguesias de Mazedo e Cortes,  Augusto de Oliveira Domingues e Conceição Soares tomaram contacto com o projeto de valorização daquela área ribeirinha e visitaram alguns investimentos efetuados por administração direta com apoio da autarquia monçanense. 

Augusto de Oliveira Domingues e Conceição Soares estiveram na União de Freguesias de Mazedo e Cortes para visitar algumas empreitadas de rede viária efetuadas nos últimos tempos e tomar contacto com alguns investimentos estruturantes em fase de arranque. Nesta visita, estiveram acompanhados pelo presidente, Vítor Rodrigues, e pelo secretário, Tiago Morais.
Em permanente contacto com a população, a visita englobou paragens em diversos lugares que beneficiaram de melhoramentos na rede viária ao nível do pavimento, valetas e condutas de água. Casos da Rua da Gandra, Rua do Friego, Rua das Cruzes, Avenida da Adega Cooperativa de Monção e Caminho Agrícola do Sorrego, 1ª e 2ª fase.
Os autarcas deslocaram-se também ao lavadouro público de Requião que, tendo sido recentemente objeto de recuperação, apresenta agora um aspeto mais condizente com a história coletiva daquele lugar e com as memórias que cada família tem daquele espaço de trabalho e convívio.
Uma obra muito bem conseguida, tanto no exterior como no interior, que revela a preocupação dos responsáveis locais na preservação e funcionalidade do património contruído e na divulgação das potencialidades naturais que Mazedo e Cortes tem para oferecer.

Como refere Vítor Rodrigues, a diferenciação positiva da União de Freguesias de Mazedo e Cortes faz-se com a valorização daquilo que é nosso. Por isso, adiantou, a requalificação destas estruturas seculares é uma prioridade na função cívica que exercemos para servir a população. 

C.M.

segunda-feira, 27 de junho de 2016

FEIRA DO ALVARINHO DE MONÇÃO INSPIRA-SE EM CRISTIANO RONALD


Colocado no Facebook do certame no final da tarde de sexta-feira, vídeo de 18 segundos, com versão local do episódio entre Cristiano Ronaldo e a CMTV, já ultrapassou as 30 mil visualizações, estando muito próximo das 800 partilhas. 

O episódio que correu mundo entre Cristiano Ronaldo e a CMTV, com o jogador a atirar o microfone daquela estação televisiva à água, inspirou a organização da Feira do Alvarinho de Monção para a promoção do certame que decorre no próximo fim de semana, 1 a 3 de julho.
Numa versão local, em jeito brincalhão, Romeu e Pedro, dois estagiários na Câmara Municipal de Monção, simularam momento semelhante com o microfone, feito de papelão com o logotipo da feira, a desfazer-se nas águas do rio Minho.
Feito em telemóvel, o vídeo foi colocado no Facebook da Feira do Alvarinho de Monção, no final da tarde de sexta-feira, tendo já ultrapassado as 30 mil visualizações, estando muito próximo das 800 partilhas. Os comentários abonam a informalidade e criatividade da situação.
Em apenas 18 segundos de duração, o “jornalista” pergunta a “Cristiano Ronaldo” se vai à Feira do Alvarinho. Sem mais, este agarra no microfone e atira-o ao rio Minho. No final, aparece o lettring “Ir à feita do Alvarinho? Já não é pergunta que se faça?”.
O vídeo surge no seguimento de outras iniciativas feitas na rede social como a produção de uma mensagem institucional, pormenorizando a essência e filosofia subjacente ao logotipo, realização de passatempos e envio de fotografias com a frase “Brindamos Monção”, inscrita no verso do programa.
Referência ainda para a colocação no mural de frases, fazendo trocadilhos entre ditados populares e a Feira do Alvarinho. Estão disponíveis várias, bastando apenas que cada pessoa escolha uma e a “meta” no seu mural. Alguns exemplos: “Antes Alvarinho que mal acompanhado”; “Enquanto há Alvarinho há esperança” ou “A união faz o Alvarinho”.    

C. M.

quarta-feira, 22 de junho de 2016

RESPOSTAS SOCIAIS À POPULAÇÃO IDOSA


Monção é um concelho solidário e inclusivo com respostas sociais em todo o território concelhio. Apesar disso, o trabalho continua com a abertura recente do Centro de Dia da Portela, gerido pelo Associação “Censo”, e a ampliação do Centro Comunitário de Podame, em fase de execução.  

O Presidente da Câmara Municipal de Monção, Augusto de Oliveira Domingues, e a Vice-Presidente, Conceição Soares, estiveram recentemente no Centro Comunitário de Podame para tomarem contacto com o andamento da empreitada da segunda fase de ampliação daquela estrutura social localizada no “coração” do Vale do Mouro.

Na companhia do Presidente da Associação Social e Cultural São Cosme e Damião, João Carlos Caldas, e da diretora técnica do centro comunitário, Débora Silva, visitaram todos os espaços interiores e exteriores, articularam procedimentos futuros e fizeram o ponto da situação deste importante investimento de caráter social.

No terreno, foi possível avaliar que os trabalhos decorrem dentro da normalidade, tendo, de momento, sido erguido o “grosso” da empreitada. As etapas seguintes incidirão em intervenções mais pormenorizadas e na execução física dos projetos de especialidade.

Este investimento, apoiado pela autarquia monçanense, compreende 14 novos quartos, 6 duplos e 8 individuais, e uma nova área de convívio, alargando a oferta deste serviço de apoio à terceira idade e potenciando a imagem de Monção como um município solidário e inclusivo.

O Centro Comunitário de Podame foi inaugurado pelo Ministro do Trabalho e da Solidariedade Social, Vieira da Silva, no dia 10 de agosto de 2005. Passados nove anos, no mesmo dia, entrou em funcionamento a primeira fase de ampliação da estrutura com a criação da valência de lar de idosos, contemplando quatro quartos duplos com wc privativo.

Com a abertura recente do Centro de Dia de Podame, gerido pela Associação “Censo”, o concelho de Monção conta presentemente com 22 respostas sociais para a população com mais de 65 anos de idade, nomeadamente, 1 centro de noite, 5 lares de idosos, 7 serviços de apoio domiciliário, 1 serviço de apoio domiciliário integrado, 5 centros de dia, e 3 centros de convívio.

Da totalidade destas respostas sociais, a larga maioria é gerida pelas diferentes instituições do concelho com intervenção social. Apenas duas, Éden – Casa de Repouso e Residência Geriátrica São Francisco de Assis, pertencem ao setor privado.

Nesta componente de apoio à terceira idade, registe-se ainda o sistema de telealarme que se encontra disseminado pelo concelho, bem como a comparticipação municipal para aquisição de medicamentos aos idosos com maiores dificuldades financeiras.

C.M.

sexta-feira, 17 de junho de 2016


Novo Retail Park, RIO PARK, em Monção - Abre dia 2 de Julho 2016.

Acaba de ser anunciado que no próximo dia 2 de julho, sábado, o Grupo Rio irá inaugurar o seu mais recente projecto - o Retail Park, RIO PARK, em Monção.
Representando um investimento, segundo a anuncaido, na ordem de 10 milhões de euros, é um dos maiores investimentos privados no Alto Minho e contará com lojas como a De Borla, Sportzone, Rádio Popular, Seaside, Espaço Casa, Belita Supermercados e Burger King, entre outras.

Pensado ao nível da acessibilidade, de forma a conjugar a localização de destaque com a optimização geográfica, face aos fluxos gerados pela ponte internacional “Monção - Salvaterra de Miño”, o empreendimento, que, futuramente, se pretende que se configure como atração comercial da região, servirá a população de Monção e municípios circundantes (minhotos e galegos) e estima-se que gere 300 novos postos de trabalho,