domingo, 6 de janeiro de 2019

MUNICÍPIO FORTALECE SINAL DE WIFI MONÇÃO

Além de gratuito, o acesso à internet no Centro Histórico de Monção, Parque Desportivo Municipal e Parque das Caldas é agora mais fácil e rápido, permitindo que munícipes e visitantes possam ligar-se à rede sem fios de uma forma cómoda e segura.

Iniciado em 2015, o WIFI Monção conheceu um novo desenvolvimento com a instalação de mais dois hotspots no Parque das Caldas e a melhoria significativa do sinal nos hotspots existentes: Edifício do Loreto, Arquivo Municipal, Museu do Alvarinho, Cine Teatro João Verde, Sede da Banda Musical de Monção e Complexo de Piscinas Municipal.

No Parque das Caldas, os novos hotspots garantem acesso em toda aquela extensa área de descanso e lazer, local onde se realiza a Feira do Alvarinho de Monção, permitindo ampliar a cobertura existente, até agora circunscrita às zonas exteriores do Complexo de Piscinas Municipal, Balneário Termal e Campo de Futebol Sintético.

Além de uma maior velocidade, a autentificação revela-se também mais simples e rápida, bastando aceder e começar a navegar. Refira-se que a Praça Deu-la-Deu Martins e a Praça da República, bem como grande parte das artérias e largos do centro histórico, viram a cobertura melhorada, em virtude do reforço do sinal.

C.M.

sexta-feira, 7 de dezembro de 2018

ALVARINHO E ARTE: UMA LIÇÃO DE VIDA

Um final de tarde apaixonante. Entre o Alvarinho de Anselmo Mendes e a Arte de Manuel Malheiro. Dois monçanenses de excelência. Provaram-se cinco vinhos de caraterísticas distintas. Olharam-se igual número de obras inspiradas naquele néctar precioso. Colhido num território de eleição. Monção e Melgaço.

A apresentação esteve a cargo de Ricardo de Campos. Falou de arte, vinho, amizade e criatividade. Um brinde a tudo isso. António Barbosa sublinhou a ligação perfeita entre o Alvarinho e a Arte. E agradeceu a demonstração de amor à terra de Anselmo Mendes e Manuel Malheiro. Grandes talentos que primam pela diferença, disse.

A história do Alvarinho foi contada por Anselmo Mendes. Romanos, monges, enólogos, empresários. Um trajeto que fez do vinho muito mais que uma simples bebida. Trata-se, acentuou, de um produto cultural gerado com esforço, paixão e cumplicidade.

Manuel Malheiro não falou. Deixou que fosse Helena Mendes Pereira, curadora com ligações à Bienal de Arte de Cerveira, a traduzir com palavras assertivas, as pinturas expostas na sala do território do Museu do Alvarinho.

Enalteceu o relacionamento apertado, quase umbilical, entre o Alvarinho e a Arte. A profundidade, o aroma, a acidez de um lado “aconchegada” no espaço, colorido e textura do outro. Olhamos melhor. Abanamos a cabeça. Na vertical.

Vieram os copos de pé alto. Com Alvarinho dentro. Para mais uns minutos de conversa e aprendizagem. Sobre Alvarinho e Arte, claro. Aqui está mais uma das Expressões do Alvarinho. Saímos a saber mais do que entramos. Afinal de contas, tanto um como outra são uma lição de vida.

C. M.

sábado, 24 de novembro de 2018

Obras de Vivaldi, Bach e Haendel tocadas ao vivo no topo de montanha em Monção


Iniciativa acontece já este sábado, dia 24 de novembro, às 22h, na Igreja de Longos Vales


 Vivaldi, Bach e Haendel são três ícones do Barroco e algumas das suas obras musicais preparam-se para ser alvo de um concerto muito especial que abrange desde a música instrumental até à música vocal. A Igreja de Longos Vales, no concelho de Monção, será o palco do espetáculo que, pelas 22h deste sábado, dia 24 de novembro, tomará forma, som e voz através de 11 músicos do Alto Minho Ensemble, grupo que junta diferentes gerações de artistas oriundos do Alto Minho ou que ali exercem a sua atividade profissional e cujo palmarés é reconhecido a nível nacional e internacional.
A iniciativa decorre no âmbito do projeto “Sente a História – Ação Promocional de Música & Património – Novas Abordagens, Novos Talentos” que, até julho de 2019, está a realizar 30 concertos em 30 locais históricos do Alto Minho, envolvendo mais de 1500 músicos e 10 municípios. Este é já o décimo segundo concerto da iniciativa.

A Igreja de Longos Vales é considerada um dos mais importantes mosteiros medievais do Alto Minho, com existência segura desde o reinado de D. Afonso Henriques, e neste evento vai acolher o programa que se intitula de “Concertos e Árias do Barroco”. O mesmo está centrado na música vocal e instrumental deste período com dois géneros de referência: a nível instrumental, o Concerto e a nível vocal, a Ária.

Além de permitir uma experiência de história ao vivo, onde a música vai ao encontro da arquitetura dos monumentos, o projeto contempla três linhas de programação (bandas filarmónicas, coros e jovens solistas do Alto Minho em contexto de música de câmara), tendo como objetivo surpreender o público com novas abordagens e novos talentos.
Nesse mesmo dia, pelas 15h, realiza-se a visita guiada ao Castro de S. Caetano, também na freguesia de Longos Vales, no concelho de Monção. Os visitantes, para além de conhecerem aquela povoação celta localizada no topo da montanha, terão ainda a oportunidade de assistir à inauguração uma obra de arte dotada de um telescópio onde pode ser observada a paisagem circundante.

Tanto o concerto como a visita guiada têm entrada gratuita.

Evento: “Sente a História: Ação Promocional de Música e Património – Novas Abordagens, Novos Talentos”
Tipologia: Concerto Alto Minho Ensemble
Data: 24 de novembro
Hora: 22h
Local: Igreja de Longos Vales - Monção


Evento: “Sente a História: Ação Promocional de Música e Património – Novas Abordagens, Novos Talentos”
Tipologia: Visita Guiada ao Castro de S. Caetano em Longos Vales
Data: 24 de novembro
Hora: 15h


M.A:

segunda-feira, 22 de outubro de 2018

BIBLIOTECA DISPONIBILIZA CATÁLOGO ONLINE

A Biblioteca Municipal de Monção disponibiliza, a partir de hoje, 22 de outubro, Dia da Biblioteca Escolar, um catálogo on-line, com 42.860 livros, acessível no portal municipal www.cm-moncao.pt, possibilitando aos leitores daquele equipamento cultural aceder a um conjunto de serviços através da Internet.

Desta forma, acedendo ao catálogo online, os leitores terão a oportunidade de pesquisar os documentos existentes na biblioteca, efetuar reservas de livros, renovar os empréstimos, ou apresentar sugestões de novas aquisições. Tudo à distância de um clique.

Podem também exportar, imprimir e gravar registos, consultar o histórico de pesquisa e de empréstimos, e gerir preferências de leitura. Operações que garantem uma maior “cumplicidade” entre a biblioteca e os seus leitores, estendendo-a além do seu espaço físico.

Este novo serviço, que aprofunda o relacionamento entre a biblioteca e os seus utilizadores, integra também as seis bibliotecas escolares existentes no concelho, juntando-se a um serviço semelhante oferecido pelo Arquivo Municipal, onde também é possível consultar o acervo documental daquela estrutura.  

C.M.

quinta-feira, 18 de outubro de 2018

MONÇÃO REQUALIFICA RUA DA INDEPENDÊNCIA E EDIFÍCIO SOUTO D`EL REY


 O Executivo Municipal de Monção, reunido, esta semana, na sede da Junta da Freguesia de Lapela, aprovou o contrato de empreitada relativo à requalificação da Rua da Independência e Edifício Souto D`El Rey, no centro histórico de Monção. Os trabalhos serão efetuados pela empresa “Limabuild – Engenharia e Construções, Lda”, pelo valor de 413.292,41 €, imposto incluído.

Na Rua da Independência, que passará a ter apenas utilização pedonal, à exceção de cargas e descargas autorizadas apenas a moradores, o arruamento será nivelado e o pavimento existente será substituído por lajedo de granito. No início da rua, onde hoje existe um pequeno jardim, serão instalados ecopontos enterrados, eliminando-se os ecopontos existentes no passeio público.

Pretendendo-se uma intervenção integrada sobre o tecido urbano, os trabalhos incidirão também sobre a beneficiação/reforço dos sistemas de infraestruturas básicas, iluminação pública e telecomunicações. Prevista ainda a colocação de mobiliário urbano e eliminação de barreiras arquitetónicas. 

A presente intervenção, incluída no Plano de Pormenor de Salvaguarda e Reabilitação do Centro Histórico, assume-se como um eixo importante na relação de proximidade do centro histórico com a zona ribeirinha e a Ecopista do Rio Minho, favorecendo a imagem da Porta de Salvaterra, uma das mais emblemáticas da Muralha de Monção.

Edifício Souto D´El Rey

O edifício de Souto D´El Rey, datado do século XVII, encontra-se atualmente num estado avançado de degradação, sendo urgente a sua recuperação. Situado entre dois arruamentos, com fachada para a Rua da Independência e traseiras para a Rua da Boavista, é constituído por dois pisos, revelando-nos um brasão/escudo português esquartelado (Pereira, Sousa, Lobato e Castro).

A operação urbanística proposta para o Edifício Souto D`El Rey, enquadrada na politica municipal de reabilitação do edificado com valor identitário e patrimonial, tem como objetivo a recuperação integral do imóvel, renovando a sua imagem a adaptando-o para receber um novo equipamento cultural, albergando as memórias da gente e do território.

Assim, a recuperação daquele imóvel secular, em pleno centro histórico da vila, envolve duas vertentes. Por um lado, promove a reabilitação arquitetónica e patrimonial e, por outro, constitui mais um elemento relevante para a divulgação da componente cultural e turística do nosso concelho.   

Revitalização do Centro Histórico

A revitalização do centro histórico é uma aposta forte do atual executivo liderado por António Barbosa. Na reunião do passado dia 3 de outubro, foram aprovados os projetos de execução e abertura de procedimentos concursais para a requalificação da Rua 25 de Abril, Avenida da Estação, Praça da República, Rua General Pimenta de Castro, Largo da Alfândega, e Rua Eng. Duarte Pacheco.

Estas intervenções, todas em pleno centro histórico de Monção, tem uma estimativa orçamental global próxima de 2.1 milhões de euros, contando com apoio de fundos comunitários. De acordo com a calendarização prevista, estas intervenções deverão estar concluídas no final do próximo ano, avançando-se, de momento, para os respetivos concursos públicos.

C. M.

terça-feira, 9 de outubro de 2018

VINCUL`ARTE - TODA A ARTE EM MONÇÃO


Monção é palco no próximo fim-de-semana, 12 e 13 de outubro, da terceira edição do “Vincul`Arte”, a maior mostra de arte ao ar livre do Alto Minho que celebra a cultura nas mais variadas formas (música, teatro, poesia, cinema, workshop e exposições) em vários espaços públicos do casco urbano.

Com organização da Associação Clube Azul e apoio da Câmara Municipal de Monção, “Vincul`Arte” promete dois dias intensos para desfrutar da arte, nas suas profundas e criativas multiplicidades, em locais emblemáticos do centro histórico da vila de Monção.

Nestes dois dias, estão previstos concertos musicais, declamação de poesia, projeções cinematográficas, workshops e exposições. Depois da “agradável surpresa” da primeira edição, e do “crescimento natural” da segunda, espera-se agora, segundo a organização, “a consolidação de um projeto que veio para ficar”.

Sobem ao palco os portugueses “The Lazy Faithful”, os franceses “Okoyome”, e os espanhóis “Bliusvai”. Que terão como companheiros neste fim de semana criativo pelas ruas de Monção, os artistas Valeriano Varela e José Pinto (poesia) Manuel Malheiro, Zé Gomes, Iria Vaqueiro, Catarina Vale, Chei Mendes e Silvia Maria Perloiro (exposições), Flor Agreste e Monção nas Mãos (workshops) e Tuka Tuka (teatro).

C. M.

segunda-feira, 17 de setembro de 2018

MONÇÃO COM M GRANDE, DE MARAVILHA



O chef Evaristo Cardoso, padrinho da Mesa de Monção


Numa cerimónia realizada na Praça da Praia dos Pescadores, em Albufeira, ontem à noite, dia 16, foram reveladas as “7 Maravilhas à Mesa. Após quase dois meses de votação pública, a “Mesa de Monção”, única representante do Minho na gala final, consagrou-se como uma das 7 mesas eleitas pelos portugueses.

As restantes foram Albufeira, Bairrada ao Mondego, Lajes do Pico, Mirandela, Terras da Chanfana e Vila Real. Antes da entrega de prémios, o presidente das “7 Maravilhas à Mesa”, Luis Segadães, revelou que a próxima edição, em 2019, será dedicada à doçaria.

Albufeira acolheu a cerimónia, um evento que contou com Salvador Sobral como artista convidado. “Amar pelos Dois” e “Mano a Mano” foram os dois temas interpretados pelo vencedor do Festival da Canção, em 2017. Em palco, como em todas as galas deste ano, esteve Daniel Pereira Cristo e a sua banda, com uma “Rapsódia à Mesa”. O espetáculo contou ainda com três momentos de dança e um momento piromusical no final.

As “7 Maravilhas à Mesa foram a sétima edição das “7 Maravilhas em Portugal”, um projeto que uniu gastronomia, vinhos e azeites, e roteiros num conceito integrado de “mesa” que não existia. O projeto arrancou em novembro do ano passado, com a fase de candidaturas. De uma lista longa de cerca de 200 mesas candidatas, foram selecionadas 49 pré-finalistas por um painel de 77 especialistas de todas as regiões do país.

A votação pública começou a 20 de julho e as finalistas foram apuradas em 7 galas eliminatórias, emitidas aos domingos em prime time na RTP1 e RTP Internacional. Em cada gala eliminatória foram apuradas duas finalistas, num total de 14, que foram votadas numa segunda fase de votação, entre 9 de setembro e a gala final, realizada no domingo à noite.

As 7 mesas eleitas foram escolhidas por votação pública e apuradas pelo maior número de votos, as 7 em pé de igualdade. Todo o processo de votação foi auditado pela PwC. Os espetáculos contaram com apresentação de Catarina Furtado e José Carlos Malato.

C.M.