sexta-feira, 1 de junho de 2018

Marcelo em Monção “enche” ruas e passeios

A Festa do Corpo de Deus e da Coca, que ontem decorreu em Monção, foi das mais concorridas de sempre. Houve até, com algum exagero, quem a comparasse à da Virgem das Dores, em agosto, as festas mais participadas do concelho. Nesse sentido, o grande responsável terá sido Marcelo Rebelo de Sousa, Presidente da República, que, participou, à tarde, na Missa e Procissão Solene.
 “Eu fiquei de visitar os Municípios atingidos pelos incêndios do passado dia 15 de outubro. E havia algumas lacunas”, disse comunicação social. “Havia uma lacuna importante no meu espírito, que me pesava na consciência, que era Monção”, acrescentou. No entanto, o tempo não lhe permitiu visitar a área queimada, nem, tão-pouco no combate entre S. Jorge e a Coca, que durou apenas uma dezena de minutos e, como quase sempre, terminou com a vitória do cavaleiro a simbolizar, para quem acredita, um ano fértil em vinho.
Após chegar junto ao edifício da Câmara, no Largo do Loreto, o chefe de Estado fez, a pé, o trajeto até à Igreja Matriz, onde assistiu à Missa. Depois, participou na Procissão que se lhe seguiu, atrás do pálio e ao lado do presidente da Câmara, António Barbosa.
Neste espaço de tempo, foram muitos populares que se esforçavam para as selfies, abraços e beijinhos. O  Presidente, com quem “ninguém consegue estar zangado”, como disse o presidente da Câmara, esforçava-se por retribuir aos muitos que enchiam bermas e passeios, esforçando-se para o ver e fotografar o melhor possível.

in valemais.pt

sábado, 19 de maio de 2018

CORPO DE DEUS/COCA DE MONÇÃO


O Corpo de Deus/Coca de Monção, festas concelhias, é um dos momentos mais relevantes do calendário cultural do concelho de Monção e um dos principais motivos de valorização da etnografia popular e afirmação da identidade coletiva do nosso povo, do nosso território.

QUINTA-FEIRA – 31 DE MAIO

10h00 |
ARRUADA DA “COCA”
A Coca mostra-se ao público com desfile pelas principais artérias da vila e paragem na Praça Deu-la-Deu. Na sala de visitas de Monção, a curiosidade das crianças é grande, sendo o momento aproveitado pelos pais para o respetivo registo fotográfico. Presença do cavaleiro S. Jorge e animação com os grupos de bombos “Os Ceboleiros” e “Bombolásticos” que vão percorrer o centro histórico da vila, envolvendo o público na festividade.

17h00 |
EUCARISTIA E PROCISSÃO SOLENE
A Eucaristia, na Igreja Matriz, e a Procissão Solene, pelas principais artérias da vila, são momentos muito participados pela população, revelando respeito, devoção e fé. A Procissão exprime grande esplendor, destacando-se a custódia sob o pálio e todas as cruzes e pendões das paróquias que formam o Arciprestado de Monção. As bandas musicais de Monção e Tangil, bem como o S. Jorge e a Coca também participam na procissão.

18h30 |
CHARANGA A CAVALO DO REGIMENTO DE CAVALARIA DA GUARDA NACIONAL REPUBLICANA
O vasto repertório da Charanga, adaptado à especificidade de cada atuação, é trabalhado pelos próprios executantes, os quais fazem os arranjos e adaptações necessárias. Única no mundo a executar os três movimentos do cavalo (passo, trote e galope), a Charanga apresenta um espetáculo ímpar e singular quer pela qualidade técnica das atuações quer pelo aspeto cénico e visual.


19h00 |
COMBATE ENTRE A “COCA” E S. JORGE
Depois da Procissão Solene, o povo ruma ao Anfiteatro Natural do Souto, local onde decorre o tradicional combate entre S. Jorge, padroeiro do reino que simboliza o bem, e a Coca, dragão pintado de verde que simboliza o mal.

O dragão, construído em tela sobre armação de madeira e com rodas disfarçadas sob as patas pintadas como garras de unhas aguçadas, é exteriormente empurrado por 4 a 6 valentes, sendo a mobilidade conseguida por outro valente que é transportado no interior do monstro.

As cores berrantes e o tamanho da Coca provocam receio no cavalo que S. Jorge cavalga, impedindo ou dificultando a aproximação suficiente para o guerreiro desferir os golpes castigadores do mal. Com o decorrer dos minutos, o “combate” provoca a boa disposição na assistência que premeia com palmas as boas provas de um e de outro num claro sinal de independência.

O povo anima-se com as investidas e peripécias de ambos, saindo o cavaleiro vencedor se cortar uma orelha e introduzir a lança, por duas vezes, nas goelas do dragão. Reza a história que, caso vença S. Jorge, haverá boa colheita de Alvarinho. Se a vitória sorrir à Coca, aproximam-se tempos difíceis e incertos.

SEXTA-FEIRA – 1 DE JUNHO

10h00 |
CELEBRAÇÃO DO DIA MUNDIAL DA CRIANÇA
Animação, entusiasmo e partilha de experiências. Ingredientes de um programa para celebrar em contexto informal e com imensa diversão à mistura. Iniciativa promovida pela Comissão de Proteção de Crianças e Jovens de Monção enquadrada na Festa do Corpo de Deus/Coca de Monção. Decorre na Praça Deu-la-Deu com a realização de atividades para crianças do pré-escolar e do 1º Ciclo do Ensino Básico.

22h00 |
NOITE DE FADOS
O jardim da Biblioteca Municipal de Monção é palco de uma Noite de Fados com Jorge Nande, Ana Ferreira, Rui Cunha, e Marlene Rodrigues. Na guitarra portuguesa, estão Francisco Vieira e José Manuel, na viola de fado, João Martins, e na viola baixo, Henrique Rabaçal.


SÁBADO – 2 DE JUNHO

11h00 |
ENTREGA DE PRÉMIOS “ERA UMA VEZ…..A BIBLIOTECA MUNICIPAL”
Cerimónia realiza-se na Biblioteca Municipal de Monção com a presença dos jovens premiados e familiares. O objetivo deste concurso é incentivar a prática da escrita junto dos mais jovens, incutindo-lhes competência criativa e capacidade narrativa. Os premiados recebem diplomas e vales para “descontar” nas papelarias locais em material escolar e artigos pedagógicos. Nesta cerimónia, será também entregue um voto de louvor a Rodrigo Gonçalves Ferreira, vencedor do concurso nacional “Faça Lá um Poema”, ensino secundário.

18h30 |
FESTIVAL DE MÚSICA “COCA`IN FESTA”
Festival de música com nomes emergentes no panorama musical nacional. Com organização do Bar Porta Onze, realiza-se na Rua da Independência, centro histórico de Monção. Participação dos grupos Xinobi, Chinaskee & Os Camponeses, Fugly, Rackham, Areia nos Calções e Funkamente. Com entrada gratuita, o festival entra pela noite dentro.

DOMINGO – 3 DE JUNHO

8h30 |
“CAMINHOS DO ALVARINHO”
Com organização do “Correr por Monção”, a iniciativa “Caminhos de Alvarinho” é uma simbiose perfeita entre a atividade física e o vinho Alvarinho. Na sua essência, esta caminhada, com cerca de 14 quilómetros, visa aliar a atividade física à descoberta do território da Sub-Região de Monção e Melgaço.

A caminhada tem início no Museu do Alvarinho, seguindo para a Quinta de Santiago, Adega Cooperativa de Monção, Solar de Serrade e Quinta da Pedra, terminando no ponto de partida, onde terá lugar um Alvarinho de Honra, acompanhado por canapés variados. Inscrições, no valor de 7,00 €, na Loja Interativa de Turismo.

16h30 |
CORTEJO ETNOGRÁFICO DAS FREGUESIAS
O Cortejo Etnográfico das Freguesias reflete a identidade cultural e patrimonial das freguesias do concelho de Monção num percurso realizado pelas ruas da vila e marcado por muita animação e alegria. Este ano, os carros alegóricos têm como referência “2018: Ano Europeu do Património Cultural”.

Além da sonoridade característica das nossas aldeias como bombos, concertinas e cavaquinhos, mostram-se algumas vivências de ruralidade como a prática da pastorícia, o trabalho do granito, as vindimas, a malhada do centeio, a fiada e a desfolhada. A riqueza gastronómica do concelho também marca presença com o fumeiro, os enchidos, o mel, a broa de milho, e as roscas e papudos.

TODOS OS DIAS

10h00/18h00 |
“BOCA DA COCA” - OFICINAS, INSTALAÇÕES, PERFORMANCES
Aqui pode dar-se largas à imaginação, participar em oficinas, contribuir para a criação de uma instalação coletiva, explorar dispositivos cénicos ou simplesmente brincar. Há ainda lugar para construir uma memória de bolso. E para uma pausa no fazer, todas as famílias estão convidadas a assistir a momentos performativos. No sábado, o “EZ Sub” navegará as ruas de Monção. No domingo, a proposta é “Circontando”, um conto musicado para rir. Sessões às 11h00 e às 15h00.

EXPOSIÇÃO “A COCA RABIXA POR MONÇÃO”
Nestes quatro dias de festa, com prolongamento até 10 de agosto, estarão expostas, em diferentes locais da localidade, várias Cocas elaboradas pelas instituições/associações/clubes do concelho. Neste trabalho criativo, recorreram a materiais diversificados na sua conceção, apresentando, nas ruas e praças do centro histórico, parte do imaginário monçanense.

Envolva-se na história e tradição. Participe em quatro dias festivos. 

C.M.

sábado, 28 de abril de 2018

MEIO MILHAR DE CRIANÇAS CRIARAM LAÇO AZUL HUMANO

Iniciativa assinalou, na E.B. 2.3 Deu-la-Deu Martins, a conclusão do Mês da Prevenção dos Maus-Tratos na Infância em Monção. Todas as crianças receberam um diploma de participação.

A Comissão de Proteção de Crianças e Jovens de Monção assinalou, ontem ao meio dia em ponto, a conclusão do Mês da Prevenção dos Maus-Tratos na Infância através da criação de um laço azul humano que contou com a participação de meio milhar de alunos da E.B.2.3 Deu-la-Deu Martins, acompanhados por professores e auxiliares.
A Vereadora da Educação e Recursos Humanos, Natália Rocha, marcou presença nesta iniciativa, onde todas as crianças receberam um diploma de participação, valorizando o papel destas ações para sensibilizar e envolver a comunidade local nesta temática social.
Ao longo do mês, a Comissão de Proteção de Crianças e Jovens de Monção realizou várias atividades junto de diferentes públicos, chamando a atenção para a questão. Entre outras, lançou o desafio às associações locais e comércio tradicional para colocarem nas suas fachadas e montras o Laço Azul. 

C.M.

quinta-feira, 12 de abril de 2018

MESA “CORDEIRO À MODA DE MONÇÃO” É PRÉ-FINALISTA DO CONCURSO “7 MARAVILHAS À MESA”

Além do “Cordeiro à Moda de Monção”, a mesa candidatada pelo Município de Monção envolve o vinho Alvarinho e aguardente velha do Palácio da Brejoeira, o património local simbolizado pelo Palácio da Brejoeira, incluindo a sua adega, a componente museológica representada pelo Museu Alvarinho e um evento de afirmação territorial, a Feira do Alvarinho.

A mesa ”Cordeiro à Moda de Monção” é uma das 49 pré-finalistas do concurso “7 Maravilhas à Mesa” a nível nacional e uma das 9 da região norte, sendo a única representante do Alto Minho neste prestigiado concurso que distingue as melhores mesas do pais e ilhas.

Depois desta primeira seleção, o concurso continua com as 7 galas pré-finalistas que terão lugar entre 22 de julho e 2 de setembro. Nestas galas, o público vai eleger duas mesas, as quais passam à fase de finalistas com a respetiva presença na cerimónia final, marcada para o dia 16 setembro.

A mesa de Monção é constituída pelo “Cordeiro à Moda de Monção”, envolvendo o vinho Alvarinho e aguardente velha do Palácio da Brejoeira, o património local simbolizado pelo Palácio da Brejoeira, incluindo a sua adega, a componente museológica representada pelo Museu Alvarinho e um evento de afirmação territorial, a Feira do Alvarinho.

O “Cordeiro à Moda de Monção” é um prato com uma longa história no concelho de Monção, confecionado de forma tradicional. A preparação deste prato demora mais de 24 horas, entre os banhos e a cozedura. O cordeiro é colocado em cima do alguidar de barro vermelho para pingar no arroz amarelo (feito com açafrão e água de um cozido à portuguesa), e levado a forno de lenha, previamente aquecido.

Nesta mesa, o cordeiro é acompanhado por um vinho de exceção: Alvarinho Palácio da Brejoeira, colheita 2016. Este néctar é produzido desde a década de 70, respeitando a tradição da produção dos melhores vinhos, com recurso à utilização de novas tecnologias, as quais enaltecem e realçam as suas características peculiares.

O Palácio da Brejoeira, monumento nacional desde 1910, foi mandado edificar no início do século XIX, sendo composto por palácio, bosques e vinhas, conferindo-lhe um ambiente romântico e sedutor para quem o visita. Na secular adega, é possível degustar a Aguardente Velha Palácio da Brejoeira, feita de vinho Alvarinho. Apresenta uma elegância rara, um aroma delicado e uma prova macia e prolongada.

O Museu Alvarinho é ponto de encontro de cultura e saberes, reunindo conhecimento e espólio museológico ligado à produção do vinho Alvarinho no concelho de Monção, território onde nasceu esta casta singular e elegante e lhe concede a qualidade, autenticidade e inovação.

O evento de afirmação territorial associado à mesa é a Feira do Alvarinho. Este ano, realiza-se nos dias 29 e 30 de junho e 1 de julho. Ao longo de três dias, todos os produtos caraterísticos de Monção, com particular destaque para o “Cordeiro à Moda de Monção”, podem ser degustados neste certame, cuja afluência de público se aproxima das 100 mil pessoas.

C. M.

sábado, 24 de março de 2018

CAMÉLIAS EM ABRIL


 “Monção, Vila Florida” dedica um fim de semana às camélias com diversas atividades dedicadas àquela flor. A iniciativa, que decorre no Salão Paroquial de Monção, realiza-se nos dias 7 e 8 de abril com a participação de associações locais e galegas e animação popular.

Nos dois dias, serão “mostrados” diversos trabalhos feitos com camélias e realçada a importância do cultivo desta planta tanto a nível ornamental como terapêutico. Previsto ainda workshop de vitrinismo, palestras e degustação de Camellia Sinensis acompanhada por roscas e papudos.

A sessão de abertura ocorre pelas 15h00. Segue-se entrega de diplomas aos expositores e certificados de participação aos comerciantes locais pela participação no workshop de vitrinismo. O encerramento faz-se com animação musical pelo Grupo Popular “Os Teimosos”.

No âmbito desta iniciativa, entre 2 e 15 de abril, as varandas e balcões dos edifícios municipais serão decorados com objetos artísticos evocativos da camélia criados pelo ateliê Flor Agreste. O workshop de vitrinismo, denominado “As camélias sorriem nas montras”, é coordenado por Patrícia Oliveira.

C. M.

quinta-feira, 8 de março de 2018

PROGRAMA DE VOLUNTARIADO “ANIMA”

A funcionar desde o ano de 2010, o Banco Local de Voluntariado de Monção (BLV), procura promover e divulgar o voluntariado no nosso concelho, facilitando o encontro entre a oferta e a procura de voluntários e as instituições/organizações locais promotoras de voluntariado.

Com perto de uma centena de voluntários em atividade, o BLV apresenta vários programas destinados a públicos distintos, salientando-se o Banco da Mãe e do Bebe, Banco Municipal de Livros Escolares, fábrica de experiências, música para os pequeninos, campanhas de sensibilização/peditórios e colaboração com o Banco Alimentar Contra a Fome.

Recentemente, o BLV de Monção lançou um novo programa de voluntariado denominado ANIMA, cujo objetivo consiste em promover atividades de acompanhamento e animação, junto de públicos diferenciados, nas entidades promotoras. As atividades relacionam-se com apoio às cantinas e espaços escolares, apoio às creches e apoio aos lares e centros de dia.

Apoio às cantinas e espaços escolares
Apoio às escolas do 1.º ciclo e jardins-de-infância do concelho nos recintos escolares e na promoção de atividades lúdico-pedagógicas, bem como no acompanhamento na alimentação nas cantinas escolares.
Calendarização | de 2.ª a 6.ª feira, das 12h00 às 13h30

Apoio às creches
Apoio às atividades desenvolvidas nas valências de creche através da dinamização de atividades lúdico-pedagógicas.
Calendarização | de 2.ª a 6.ª feira, horário a definir com o/a voluntário/a

Apoio aos lares e centros de dia
Apoio às atividades desenvolvidas junto da população dos lares e centros de dia do nosso concelho. Podem ser promovidas atividades ligadas à música, leitura, artes plásticas, contar histórias, jogar, ouvir/escutar e/ou apoio ao acompanhamento dos utentes. 
Calendarização | de 2.ª a 6.ª feira, horário a definir com o/a voluntário/a.

C. M.

sexta-feira, 9 de fevereiro de 2018

GRUPO “DANÇAS OCULTAS” MOSTRA-SE NO CINE TEATRO JOÃO VERDE


 O Grupo “Danças Ocultas” sobe ao palco do Cine Teatro João Verde no dia 10 de fevereiro, sábado, pelas 21h30. O bilhete, no valor de 10,00 €, pode ser adquirido na Loja Interativa de Turismo (T. 251 649 013), podendo efetuar-se reservas até cinco dias antes do espetáculo.

Depois de “Amplitude”, disco produzido em colaboração com a Orquestra Filarmónica das Beiras, com convidados como Carminho, Dead Combo e Rodrigo Leão, o grupo de Águeda prepara o seu novo disco de originais, o qual conta com produção de Jacques Morelenbaum.

Este reputado maestro, compositor e violoncelista brasileiro, apresenta um currículo notável de colaborações com Caetano Veloso, Marisa Monte, António Carlos Jobim, Ryuichi Sakamoto, David Byrne e Cesária Évora, entre outros. O novo trabalho de “Danças Ocultas” terá edição nacional e internacional.

C.M.