quinta-feira, 18 de outubro de 2018

MONÇÃO REQUALIFICA RUA DA INDEPENDÊNCIA E EDIFÍCIO SOUTO D`EL REY


 O Executivo Municipal de Monção, reunido, esta semana, na sede da Junta da Freguesia de Lapela, aprovou o contrato de empreitada relativo à requalificação da Rua da Independência e Edifício Souto D`El Rey, no centro histórico de Monção. Os trabalhos serão efetuados pela empresa “Limabuild – Engenharia e Construções, Lda”, pelo valor de 413.292,41 €, imposto incluído.

Na Rua da Independência, que passará a ter apenas utilização pedonal, à exceção de cargas e descargas autorizadas apenas a moradores, o arruamento será nivelado e o pavimento existente será substituído por lajedo de granito. No início da rua, onde hoje existe um pequeno jardim, serão instalados ecopontos enterrados, eliminando-se os ecopontos existentes no passeio público.

Pretendendo-se uma intervenção integrada sobre o tecido urbano, os trabalhos incidirão também sobre a beneficiação/reforço dos sistemas de infraestruturas básicas, iluminação pública e telecomunicações. Prevista ainda a colocação de mobiliário urbano e eliminação de barreiras arquitetónicas. 

A presente intervenção, incluída no Plano de Pormenor de Salvaguarda e Reabilitação do Centro Histórico, assume-se como um eixo importante na relação de proximidade do centro histórico com a zona ribeirinha e a Ecopista do Rio Minho, favorecendo a imagem da Porta de Salvaterra, uma das mais emblemáticas da Muralha de Monção.

Edifício Souto D´El Rey

O edifício de Souto D´El Rey, datado do século XVII, encontra-se atualmente num estado avançado de degradação, sendo urgente a sua recuperação. Situado entre dois arruamentos, com fachada para a Rua da Independência e traseiras para a Rua da Boavista, é constituído por dois pisos, revelando-nos um brasão/escudo português esquartelado (Pereira, Sousa, Lobato e Castro).

A operação urbanística proposta para o Edifício Souto D`El Rey, enquadrada na politica municipal de reabilitação do edificado com valor identitário e patrimonial, tem como objetivo a recuperação integral do imóvel, renovando a sua imagem a adaptando-o para receber um novo equipamento cultural, albergando as memórias da gente e do território.

Assim, a recuperação daquele imóvel secular, em pleno centro histórico da vila, envolve duas vertentes. Por um lado, promove a reabilitação arquitetónica e patrimonial e, por outro, constitui mais um elemento relevante para a divulgação da componente cultural e turística do nosso concelho.   

Revitalização do Centro Histórico

A revitalização do centro histórico é uma aposta forte do atual executivo liderado por António Barbosa. Na reunião do passado dia 3 de outubro, foram aprovados os projetos de execução e abertura de procedimentos concursais para a requalificação da Rua 25 de Abril, Avenida da Estação, Praça da República, Rua General Pimenta de Castro, Largo da Alfândega, e Rua Eng. Duarte Pacheco.

Estas intervenções, todas em pleno centro histórico de Monção, tem uma estimativa orçamental global próxima de 2.1 milhões de euros, contando com apoio de fundos comunitários. De acordo com a calendarização prevista, estas intervenções deverão estar concluídas no final do próximo ano, avançando-se, de momento, para os respetivos concursos públicos.

C. M.

terça-feira, 9 de outubro de 2018

VINCUL`ARTE - TODA A ARTE EM MONÇÃO


Monção é palco no próximo fim-de-semana, 12 e 13 de outubro, da terceira edição do “Vincul`Arte”, a maior mostra de arte ao ar livre do Alto Minho que celebra a cultura nas mais variadas formas (música, teatro, poesia, cinema, workshop e exposições) em vários espaços públicos do casco urbano.

Com organização da Associação Clube Azul e apoio da Câmara Municipal de Monção, “Vincul`Arte” promete dois dias intensos para desfrutar da arte, nas suas profundas e criativas multiplicidades, em locais emblemáticos do centro histórico da vila de Monção.

Nestes dois dias, estão previstos concertos musicais, declamação de poesia, projeções cinematográficas, workshops e exposições. Depois da “agradável surpresa” da primeira edição, e do “crescimento natural” da segunda, espera-se agora, segundo a organização, “a consolidação de um projeto que veio para ficar”.

Sobem ao palco os portugueses “The Lazy Faithful”, os franceses “Okoyome”, e os espanhóis “Bliusvai”. Que terão como companheiros neste fim de semana criativo pelas ruas de Monção, os artistas Valeriano Varela e José Pinto (poesia) Manuel Malheiro, Zé Gomes, Iria Vaqueiro, Catarina Vale, Chei Mendes e Silvia Maria Perloiro (exposições), Flor Agreste e Monção nas Mãos (workshops) e Tuka Tuka (teatro).

C. M.

segunda-feira, 17 de setembro de 2018

MONÇÃO COM M GRANDE, DE MARAVILHA



O chef Evaristo Cardoso, padrinho da Mesa de Monção


Numa cerimónia realizada na Praça da Praia dos Pescadores, em Albufeira, ontem à noite, dia 16, foram reveladas as “7 Maravilhas à Mesa. Após quase dois meses de votação pública, a “Mesa de Monção”, única representante do Minho na gala final, consagrou-se como uma das 7 mesas eleitas pelos portugueses.

As restantes foram Albufeira, Bairrada ao Mondego, Lajes do Pico, Mirandela, Terras da Chanfana e Vila Real. Antes da entrega de prémios, o presidente das “7 Maravilhas à Mesa”, Luis Segadães, revelou que a próxima edição, em 2019, será dedicada à doçaria.

Albufeira acolheu a cerimónia, um evento que contou com Salvador Sobral como artista convidado. “Amar pelos Dois” e “Mano a Mano” foram os dois temas interpretados pelo vencedor do Festival da Canção, em 2017. Em palco, como em todas as galas deste ano, esteve Daniel Pereira Cristo e a sua banda, com uma “Rapsódia à Mesa”. O espetáculo contou ainda com três momentos de dança e um momento piromusical no final.

As “7 Maravilhas à Mesa foram a sétima edição das “7 Maravilhas em Portugal”, um projeto que uniu gastronomia, vinhos e azeites, e roteiros num conceito integrado de “mesa” que não existia. O projeto arrancou em novembro do ano passado, com a fase de candidaturas. De uma lista longa de cerca de 200 mesas candidatas, foram selecionadas 49 pré-finalistas por um painel de 77 especialistas de todas as regiões do país.

A votação pública começou a 20 de julho e as finalistas foram apuradas em 7 galas eliminatórias, emitidas aos domingos em prime time na RTP1 e RTP Internacional. Em cada gala eliminatória foram apuradas duas finalistas, num total de 14, que foram votadas numa segunda fase de votação, entre 9 de setembro e a gala final, realizada no domingo à noite.

As 7 mesas eleitas foram escolhidas por votação pública e apuradas pelo maior número de votos, as 7 em pé de igualdade. Todo o processo de votação foi auditado pela PwC. Os espetáculos contaram com apresentação de Catarina Furtado e José Carlos Malato.

C.M.

sábado, 18 de agosto de 2018

FESTA EM HONRA À VIRGEM DAS DORES JÁ DECORREM


Romaria, uma das maiores do Alto Minho, está a decorrer desde quinta-feira, prolongando-se até à próxima segunda-feira. Cinco dias de devoção, animação e convívio com momentos religiosos e festivos. Pontos fortes no domingo com a Procissão Solene em Honra à Virgem das Dores e, na segunda, com a Procissão Solene em Honra do Emigrante. 
As noites prometem. Ontem com Monção Brass e Aurea. Hoje, o destaque vai para Thema Solus e Wilson Honrado. No domingo, concerto de bandas filarmónicas e verbena com o grupo KapitTal. Na segunda-feira, sobem ao palco Roconorte e Raquel Tavares.

A Festa em Honra à Virgem das Dores proporcionam momentos de animação com acentuada componente tradicional, etnográfica e festiva.

Os momentos mais fortes, que reúnem milhares de pessoas nas ruas e varandas do centro histórico, são a procissão solene em honra à Virgem das Dores, no domingo, principal dia das festividades, e a procissão solene em honra do emigrante, segunda-feira, último dia.

Destaque ainda para a saudação mútua e despedida das bandas, após a procissão de domingo, onde os elementos da comissão de festas desfilam ao som das duas filarmónicas locais, sendo aplaudidos pelo público que enche os passeios para lhes agradecer a realização da festa.

Nos restantes dias, o programa reserva atuações de grupos de bombos, zabumbas, cabeçudos, gigantones, tocadores de concertina, cantadores ao desafio, cavaquinhos, ranchos folclóricos e bandas filarmónicas. As orquestras  também marcam presença. Tal como grupos e artistas nacionais conhecidos do grande público.

A animação, com milhares de pessoas nas ruas, é garantida nestes cinco dias de festa. 

Devido à Situação de Alerta devido ás altas temperaturas, poderá não haver fogo-de-artifício”. Mas há o concerto filarmónico com a Banda Musical de Monção e a Banda Musical de Arcos de Valdevez. Depois, atuação do grupo Thema Solus e Wilson Honrado.  

O domingo tem uma forte componente religiosa com a Procissão Solene em Honra à Virgem das Dores. Prevê também a despedida das bandas, momento único e inesquecível para os mordomos e mordomas. A noite vai encher-se ao ritmo das orquestras Paralelos e Kapittal.

O último dia, segunda-feira, engloba missa e procissão em homenagem aos emigrantes, durante a manhã, e convívio do emigrante com atuação do grupo “Cantares do Alvarinho”, ao final da tarde. Pelas 22h00, sobe ao palco o Grupo Roconorte e, pelas 23h00, concerto de Raquel Tavares. A festividade termina com nova sessão de fogo-de-artifício

segunda-feira, 23 de julho de 2018

UMA “THE WHITE EXPERIENCE” PROMISSORA


No âmbito da iniciativa “The White Experience”, Monção viveu, no passado fim de semana, no Parque das Caldas, espaço edílico entre a muralha e o rio Minho, um momento importante de promoção da nossa identidade secular e dos vários rótulos de vinho Alvarinho produzidos na nossa região.

Nesta ação, promovida pela Comissão de Vinhos Verdes e “Monção e Melgaço – A Origem do Alvarinho”, os nossos brancos, nobres e elegantes, juntaram-se a outros vinhos brancos de Portugal e da Europa, proporcionando a produtores, especialistas, comunicadores e público, um encontro único, partilhado e enriquecedor.

No final, revelou-se uma viagem fantástica pelos vinhos de vários países com um resultado bastante promissor em termos de valorização dos nossos produtos vínicos. Pelo recinto, passaram muitos profissionais do setor dos vinhos que mostraram interesse em saber mais sobre o Alvarinho produzido na região de Monção e Melgaço.

C. M.

sexta-feira, 6 de julho de 2018

FOLK MONÇÃO “O MUNDO A DANÇAR” VOLTA A ENCANTAR


Festival, apresentado no Palácio da Brejoeira, decorre entre 29 de julho e 6 de agosto, em 9 concelhos do Alto Minho (exceção é Viana do Castelo) e 2 da Galiza (Salvaterra de Miño e Vila Nova de Arousa). 

Os espetáculos, com início às 22h00, são todos gratuitos, contando com a participação de agrupamentos da África do Sul, Argentina, Bielorrússia, Buriácia, Colômbia, Espanha, Taiti, Ucrânia e Portugal. 

Os cinco continentes num espetáculo de dança, música e intercâmbio de ideias.

sábado, 23 de junho de 2018

PROTOCOLO DE COOPERAÇÃO ENTRE MUNICIPIO DE MONÇÃO, DESPORTIVO DE MONÇÃO, U.D. “OS RAIANOS” E U.D. MOREIRA

O Município de Monção, o Desportivo de Monção, a União Desportiva “Os Raianos” e a União Desportiva de Moreira formalizaram um protocolo de cooperação interassociativo para o desenvolvimento desportivo do concelho de Monção.
O ato decorreu no Salão Paroquial de Monção, ao início da noite da últimas quinta-feira.
O documento, aprovado em reunião do executivo municipal, aprovado, no dia anterior, realizada na sede da junta de freguesia de Mazedo, destina-se à formação dos jovens atletas monçanenses, na modalidade de futebol, englobando-se, por esse motivo, apenas os clubes com atividade na área da formação.
Em linhas gerais, o protocolo entre o Município de Monção e os três clubes mencionados tem como objetivo definir as condições de organização de cada um dos clubes envolvidos, visando o aumento da qualidade e competitividade das equipas monçanenses.