terça-feira, 5 de dezembro de 2017

MONÇÃO, VILA MÁGICA



Programação de Natal decorre entre 16 de dezembro de 2017 e 7 de janeiro de 2018. Iluminação pública de Natal e dos estabelecimentos comerciais “acendeu-se” no dia 30 de novembro, quinta, pelas 18h00, num momento entusiasmante que envolveu centenas de monçanenses. No Natal, Monção está ainda mais atraente. 

O programa de Natal “Monção, Vila Mágica” engloba diversas atividades para todos os públicos, destacando-se uma pista de gelo, a Casa do Pai Natal, presépios dispersos pela vila e muita animação com figuras natalícias e grupos musicais.
Decorrendo entre 16 de dezembro e 7 de janeiro, o programa foi assinalado, de forma simbólica, no passado dia 30 de novembro, quinta-feira, pelas 18h00, com o arranque simultâneo da iluminação pública de Natal e dos estabelecimentos comerciais, decorados a preceito e com bom gosto.
A iniciativa, denominada “Juntos, Vamos Iluminar Monção”, representou um momento entusiasmante que envolveu centenas de monçanenses, sinalizando o ponto de partida de um mês onde o comércio tradicional estará aberto todos os sábados, domingos e feriados (dias 1 e 8), estando previsto prolongamento de horário, até às 22h00, nos dias 21, 22 e 23.
Para o autarca monçanense, António Barbosa, tratou-se de um dia duplamente feliz: “Demos o pontapé de saída para tornar a quadra natalícia numa festa muito participada por todos os monçanenses e sentimos uma grande confiança e iniciativa dos comerciantes. Este é um ponto essencial. Trabalhando em parceria, como aconteceu no presente e acontecerá no futuro, vamos criar condições para a valorização do comércio tradicional”.

Presépios e Casa do Pai Natal
Neste Natal, a iluminação pública foi alargada e a animação será reforçada com a presença de figuras ligadas à época e grupos musicais. Em horas específicas, principio e final da tarde, percorrerão as ruas do centro histórico e avenidas/urbanizações envolventes.
Na Praça Deu-la-Deu Martins, vai situar-se a “Casa do Pai Natal”, com oficina de manualidades/ateliês infantis, e quatro expositores para venda de “Delícias de Natal”, iniciativa da Comissão de Festas em Honra à Virgem das Dores. Está também prevista a criação de um roteiro de presépios, em tamanho real, disperso por toda a vila.

Pista de gelo na Praça Deu-la-Deu
A grande novidade é uma pista de gelo que, com toda a certeza, fará a delícia dos mais pequenos. Funcionará entre as 14h00 e as 22h00 e entre as 16h00 e 21h00 (este último horário apenas de 2 a 5 de janeiro), tendo como “chamariz” o facto de poder ser utilizada gratuitamente, durante um tempo determinado, 15 minutos, pelos clientes do comércio tradicional.
Exemplificando: uma pessoa compra um artigo ou produto em qualquer comércio tradicional e recebe um voucher (distribuído pela autarquia pelos comerciantes) que lhe permitirá usufruir da pista de gelo durante o tempo estipulado. O acesso ao voucher depende do valor da compra, o qual fica a critério do comerciante. 

C.M.

sexta-feira, 3 de novembro de 2017

FERIADO MUNICIPAL REGRESSA AO 12 DE MARÇO

Decisão aprovada em sessão camarária realizada na segunda-feira à noite, 30 de outubro, na sede da Junta de Freguesia de Longos Vales, será agora objeto de análise e votação na Assembleia Municipal de dezembro.
A Câmara Municipal de Monção, reunida na noite de segunda-feira, 30 de outubro, na sede da Junta da Freguesia de Longos Vales, aprovou, por maioria, com a abstenção dos vereadores do PS, a fixação do feriado municipal no dia 12 de março, data da atribuição da carta de foral ao município pelo Rei D. Afonso III, em 1261.
Esta decisão revoga a deliberação da Assembleia Municipal de Monção de 17 de novembro de 2014, a qual instituiu o feriado municipal na quinta-feira de Corpo de Deus, devendo agora ser analisada e votada na reunião da Assembleia Municipal de dezembro.
António Barbosa referiu que esta decisão visa repor a normalidade (deliberação aprovada no dia 27 de dezembro de 2002, em sessão da Assembleia Municipal de Monção), após interrupção de três anos, período em que o feriado foi comemorado na quinta-feira do Corpo de Deus.
Adiantou: “A atribuição da carta de foral é algo valioso para determinado território visto reconhecer a sua importância geoestratégica e económica na região. Em Monção, o Rei D. Afonso III concedeu-nos esse privilégio no dia 12 de março de 1261. Esta é a data da criação do nosso município. É nesta data que devemos comemorar, com orgulho, o nosso feriado”.
O autarca monçanense referiu ainda que conta com o envolvimento de todos para que esta data seja comemorada como merece. Nesse sentido, porque as grandes superfícies comerciais tem sido avessas ao encerramento neste dia, referiu que irá reunir com os responsáveis para que tenham uma verdadeira noção da importância deste dia para todos os monçanenses.
A celebração da Carta do Foral representa a afirmação da identidade monçanense e a ancestralidade da sua história, bem como a valorização das suas tradições e do património cultural das suas gentes. Constitui também uma excelente oportunidade para a promoção do concelho nas mais variadas áreas de intervenção.
C.M.

terça-feira, 17 de outubro de 2017

INCÊNDIOS DESTRUÍRAM 35% DO TERRITÓRIO CONCELHIO



Numa primeira avaliação, embora provisória, os incêndios do último fim de semana, que tiveram início no sábado à noite e estabilizaram na manhã de ontem, destruíram 6 mil hectares do território concelhio, o equivalente a 35 por cento da totalidade do nosso concelho.
Ao todo, foram atingidas 20 das 33 freguesias. A contabilização é feita recorrendo à antiga denominação administrativa (atualmente são 24 juntas/uniões de freguesia) porque, em alguns casos, foi atingida uma freguesia e não as outra(s) de determinada união.
As consequências são nefastas e trágicas em várias vertentes, estando, neste momento, a decorrer o respetivo levantamento pormenorizado das situações detetadas para entregar às autoridades no âmbito do estado de calamidade pública decretado pelo governo português.
O Plano Municipal de Proteção Civil foi acionado ao final da manhã de domingo, procedendo-se, de imediato, à proibição e condicionamento de circulação nas estradas nacionais e municipais, prevenindo-se eventuais situações de perigosidade junto dos automobilistas.
Os utentes dos lares de idosos de Barbeita e Merufe foram evacuados, tendo passado a noite no pavilhão desportivo da vila. Regressaram a “casa” na manhã e início da tarde de ontem após “luz verde” das autoridades. Um trabalho feito pelos funcionários dos lares, APPACDM, Cruz Vermelha, Agrupamento de escuteiros, corporação de bombeiros e muitos trabalhadores municipais.    

C.M. 

sexta-feira, 6 de outubro de 2017

MINHO PARK PREOCUPA PRESIDENTE ELEITO DA CÂMARA DE MONÇÃO

A questão do Minho Park é uma das questões que mais preocupam António Barbosa (PSD), recém-eleito presidente da Câmara Municipal de Monção – e o 6º eleito em democracia – e cuja tomada de posse deverá ocorrer na tarde do próximo dia 21, sábado.
Embora não se querendo alargar em pormenores, Barbosa confirmou à VALE MAIS que está determinado a colocar o Minho Park ao serviço das empresas e de Monção. A autarquia só tem 10% da propriedade do mesmo, sendo o restante da AIMInho, em risco de falência. O plano poderá passar por negociar com um banco credor.
Lembre-se, a propósito, que, já em 2012, o então chefe do município, José Emílio Moreira dava conta do lançamento do concurso internacional para que a empreitada fosse adjudicada e arrancasse no terreno. Todavia, o projeto ainda não está  terminado.
Abrangendo terrenos das freguesias de Pinheiros, Troporiz, Mazedo e Lara, previa-se, então, a criação de 1 250 postos de trabalho diretos. António Barbosa assume o Minho Park prioritário na criação de emprego na região, lembrando, nesse âmbito, além dos jovens, também os que já têm mais de 45/50 anos de idade e, uma vez desempregados, se deparam com dificuldades em voltar ao mundo laboral.
[...]
ANTIGO QUARTEL DOS BOMBEIROS
Chegou-nos também a informação sobre um projeto que terá agora sido mandado efetuar, a mando do atual executivo em funções, para o antigo quartel dos bombeiros e escola de música, na antiga Avenida da Estação, visando uma Pousada ou espaço para os mais jovens. Como não conseguimos confirmação oficial até ao momento, não podemos adiantar mais sobre eventuais pormenores sobre o tema.
In VALE MAIS online
www.valemais.pt

quarta-feira, 16 de agosto de 2017


FESTA EM HONRA À VIRGEM DAS DORES




Romaria, uma das mais castiças e tradicionais do Alto Minho, arrancou amanhã, prolongando-se até à próxima segunda-feira. Cinco dias de devoção, animação e convívio com momentos religiosos e festivos. Pontos fortes no domingo com a Procissão Solene em Honra à Virgem das Dores e, na segunda, com a Procissão Solene em Honra do Emigrante.

As noites prometem. Amanhã com Festival de Folclore, Grupo Popular “Os Teimosos” e Orquestra Norwest. Amanhã com Thema Solus, Expensive Soul e DJ`s. Sábado e domingo, a animação está a cargo de orquestras galegas e, na segunda-feira, sobem ao palco Roconorte e Carminho.

A Festa em Honra à Virgem das Dores, uma das romarias mais castiças e genuínas do Alto Minho, decorre entre 17 e 21 de agosto, quinta a segunda, com a promessa de cinco dias de veneração à imagem de Nossa Senhora e diversos momentos de animação com acentuada componente tradicional, etnográfica e festiva.

Os momentos mais fortes, que reúnem milhares de pessoas nas ruas e varandas do centro histórico, são a procissão solene em honra à Virgem das Dores, no domingo, principal dia das festividades, e a procissão solene em honra do emigrante, segunda-feira, último dia.

Destaque ainda para a saudação mútua e despedida das bandas, após a procissão de domingo, onde os elementos da comissão de festas desfilam ao som das duas filarmónicas locais, sendo aplaudidos pelo público que enche os passeios para lhes agradecer a realização da festa.

Nos restantes dias, o programa reserva atuações de grupos de bombos, zabumbas, cabeçudos, gigantones, tocadores de concertina, cantadores ao desafio, cavaquinhos, ranchos folclóricos e bandas filarmónicas. As orquestras galegas também marcam presença. Tal como grupos e artistas nacionais conhecidos do grande público

A animação, com milhares de pessoas nas ruas, está garantida nestes cinco dias de festa. Amanhã, a partir das 20h00, a Praça Deu-la-Deu, recebe o Festival de Folclore com nove agrupamentos locais, seguindo-se o Grupo Popular “Os Teimosos” e a Orquestra Norwest.

No dia seguinte, sexta-feira, o programa prevê grupos de gaiteiros e zés p`reiras, durante a manhã, e tarde infantil, durante a tarde. À noite, a partir das 22h00, atuação de Thema Solus, Expensive Soul e DJ`s Steven Rod e Joe Nuke. 
No sábado, concerto filarmónico com a Banda Musical de Monção e a Banda Musical Nova de Fermentelos. Depois, verbena com o Grupo América.  
O domingo tem uma forte componente religiosa com a Procissão Solene em Honra à Virgem das Dores. Prevê também a despedida das bandas, momento único e inesquecível para os mordomos e mordomas. A noite vai encher-se ao ritmo das orquestras Jerusalém e Costa Verde.

O último dia, segunda-feira, engloba missa e procissão em homenagem aos emigrantes, durante a manhã, e convívio do emigrante com atuação da Rusga dos Amigos de Merufe, ao final da tarde. Pelas 22h00, sobe ao palco o Grupo Roconorte e, pelas 23h00, concerto de Carminho. A festividade termina com uma “grandiosa sessão de fogo-de-artifício”.

M. 

quinta-feira, 22 de junho de 2017

EUROCIDADE MONÇÃO-SALVATERRA DE MIÑO DISPONIBILIZA OS SERVIÇOS DO GABINETE DE INFORMAÇÃO SOBRE EMPREGO DA UNIÃO EUROPEIA, EURES TRANFRONTEIRIÇO

Serviço, em funcionamento desde a passada segunda-feira, 19 de junho, constitui uma mais-valia para quem investe e trabalha nesta zona de fronteira, garantindo acesso a um conjunto de informações fundamentais para um pleno exercício da atividade profissional e para a procura de emprego.

A Eurocidade Monção – Salvaterra de Miño, cuja sede está localizada no lugar da Lodeira, em Monção, iniciou, na passada segunda-feira, 19 de junho, a colaboração com o serviço Eures Transfronteiriço Norte de Portugal – Galicia, organismo criado em 1998 com o objetivo de transmitir informação específica relacionada com a mobilidade de trabalhadores e empresários entre as duas regiões.
Esta decisão, saída de uma reunião de trabalho entre os representantes da Eurocidade Monção – Salvaterra de Miño e a Coordenadora do Eures Transfronteiriço Norte de Portugal – Galicia, Teresa González Ventin, realizada recentemente, constitui uma mais-valia para quem investe e trabalha nesta zona de fronteira, garantindo acesso a um conjunto de informações fundamentais para um pleno exercício da atividade profissional.
Entre estas, destacam-se as ofertas de emprego existentes na Euroregião, informação sobre legislação dos dois países em matéria laboral, fiscal e social aplicada à mobilidade transfronteiriça, oportunidades de formação profissional em ambas as regiões e os procedimentos legais subjacentes à contratação laboral.  
Presentes na reunião, tanto o presidente da Câmara Municipal de Monção, Augusto de Oliveira Domingues, como o Alcalde de Salvaterra de Miño, Arturo Grandal Vaqueiro, consideram aquele serviço como essencial no relacionamento laboral e formativo das duas regiões, acreditando que a sua aplicabilidade terá um papel importante junto dos empregados e empregadores.
A informação solicitada será disponibilizada pelas duas técnicas afetas ao organismo que tem em mãos o estabelecimento de diversas parcerias, através de protocolos de colaboração, com instituições e associações de ambas as regiões, visando assegurar maior flexibilidade, procura e eficácia deste serviço virado para as pessoas.
Refira-se que o Eures é uma rede criada pela Comissão Europeia, constituída por representantes em todos e cada um dos estados membro, com o propósito de prestar serviços de informação aos trabalhadores e empresários sobre o mercado de trabalho no Espaço Económico Europeu.
Dentro da rede Eures, encontra-se o serviço Eures Transfronteiriço, cujo objetivo consiste em dar resposta às necessidades de informação ligadas à mobilidade laboral e empresarial em zonas de fronteira. Um desses Eures Transfronteiriço recebeu o nome de Norte de Portugal – Galicia, intervindo nesta Euroregião desde 1998.
Horário
Atendimento ao público
Período da manhã - segunda a sexta-feira - 09h00 às 13h00
Período da tarde - quinta-feira - 15h00 às 17h00    

C. M. 

quarta-feira, 31 de maio de 2017

MONÇÃO PREPARA-SE PARA A FESTA DA COCA


 O Corpo de Deus/Festa da Coca decorre entre 14 e 18 de junho. O programa, como habitual, reserva um conjunto variado de iniciativas recreativas e solenes com acentuada componente religiosa. O objetivo, como sempre, é trazer gente ao concelho, proporcionando a dinamização dos setores ligados à restauração e hotelaria.
O programa “abre” na quarta-feira à noite, dia 14, pelas 21h30, com Noite de Fados, no Largo de Camões, conhecendo, no dia seguinte, quinta-feira, feriado nacional e municipal, dois dos momentos mais marcantes destas festividades: Eucaristia e Procissão Solene do Corpo de Deus e tradicional “combate” entre S. Jorge e a Coca.
O dia começa com entrada dos grupos de bombos de Pias e de Mazedo (9h30), arruada da Coca (10h00) e entrega de condecorações e títulos honoríficos a cidadãos e instituições de mérito, cerimónia que decorrerá no Cine Teatro João Verde (11h00). 
Este ano, a proposta da comissão de parecer para cidadão de mérito/medalha de prata recaiu em Amílcar Vasques Dias, compositor e pianista. Com o título de serviços distintos/medalha de ouro serão distinguidos José Miguel Dantas Rodrigues, músico da Banda Musical de Monção, e Agostinho Rodrigues Roquinho, músico da Banda Musical da Casa do Povo de Tangil, ambos com 50 anos de atividade nas referidas filarmónicas.

Como instituições de mérito serão reconhecidas quatro empresas/associações: Foto Ideal, Lda (medalha de ouro), com 100 anos de atividade, e o Centro Social, Cultural e Recreativo das Freguesias de Messegães, Valadares e Sá, o Coca Hipermercados, Lda, e a rádio local (medalha de cobre), as três com 25 anos de atividade. 
A Fanfarra Deu-la-Deu de Monção “entra” pelas 16h30, seguindo-se a Eucaristia e Procissão Solene do Corpo de Deus (17h00), o espetáculo S. Jorge e a Coca (18h30) e o tradicional combate entre S. Jorge e a Coca, no anfiteatro do Souto (19h00). Que o cavaleiro do reino esteja à altura e ganhe o “combate” para termos bom vinho Alvarinho nas adegas e nas mesas.

O terceiro dia de festa, sexta-feira, está dedicado aos alunos do pré-escolar com o ateliê “A Coca vai à escola”, entre as 9h00 e as 16h00, nos estabelecimentos de ensino. À noite, pelas 22h00, o programa compreende atuação do Grupo Paralelos, na Praça Deu-la-Deu Martins.

No sábado, o dia começa pelas 11h00 com a entrega de prémios do Concurso de Escrita “Era uma vez ….o poeta João Verde”, na Biblioteca Municipal de Monção. Pelas 15h00, tem lugar o desfile pelo centro histórico das bandas participantes no Festival Internacional de Bandas Filarmónicas que decorre pelas 21h30, na Praça Deu-la-Deu Martins.
Este ano, a organização pertence à Banda Musical da Casa do Povo de Tangil. Pelas 18h30, realiza-se a III edição da Coca in Festa com concertos de grupos emergentes na cena musical. O dia termina, pelas 23h30, com espetáculo de fogo-de-artifício.
O último dia das festividades, que todos os anos encaminha milhares de pessoas à Terra de Deu-la-Deu, Alvarinho e Termas, está inteiramente dedicado ao cortejo etnográfico das freguesias, Com início às 16h00, percorre as ruas do centro histórico num verdadeiro repositório dos usos e costumes da população monçanense.

C. M.